PARQUE CEMUCAM


Histórico e importância



Inaugurado pela Prefeitura de São Paulo em 1968, após esta recebê-lo como pagamento por uma dívida de IPTU, o Parque Cemucam (Centro Municipal de Campismo) foi destinado em princípio ao campismo e ao escotismo, como forma de aproveitar seus vastos gramados assombradados e bosques. Atualmente, é mais utilizado para piqueniques. Sedia o principal viveiro fornecedor de mudas para a cidade de São Paulo, o Viveiro Harry Blossfeld (antigo Viveiro Cotia), que fornece espécies com diversas finalidades à Prefeitura, entidades, instituições e a cidadãos paulistanos. Situa-se no município de Cotia. 

É ótima opção para práticas esportivas como futebol, pistas de corrida e caminhada, e conta com uma pista de mountain bike de nível internacional (já tendo sido realizadas ali competições desse esporte com participação de atletas de altíssimo nível, além de competições locais, como os Jogos Abertos do Interior). Também é ótima opção para passeios, piqueniques, caminhadas, lazer e descanso. Também possui estacionamento, quiosques com churrasqueiras, sanitários, bebedouros, mesas, bancos e playgrounds. 

O Parque Cemucam tem 904.7 mil m² e contribui para amenizar o clima na bolha de calor da Capital porque é  parte de um mosaico que constitui ponta de lança no enfrentamento com a manhca cinza a Oeste da Capital, fazendo corredor ecológico com o Parque Jequitibá (situado nas cidades de São Paulo, Cotia e Osasco) e a APA Embu Verde (na cidade de Embu, divisa com  São Paulo e Taboão da Serra).

Foram identificadas ali aproximadamente 120 espécies de fauna, incluindo oito de borboletas, cinco de répteis, 92 de aves e 11 de mamíferos. Avifauna bastante diversificada incluindo tanto espécies florestais quanto de áreas abertas. O remanescente de Mata Atlântica fornece habitats para diversas espécies endêmicas deste bioma, bem como as ameaçadas de extinção - gavião-pega-macaco, araponga e cuíca "catita" (pequeno marsupial). Pica-paus, pombos silvestres, papagaios e periquitos, beija-flores, sabiás, papa-moscas (tiranídeos – pássaros da família do bem-te-vi), sanhaçus, saíras e saís consistem nos grupos de espécies melhor representados no parque. Reúne espécies com grande apelo ao observador de aves como cuiú-cuiú, tucano-de-bico-verde, joão-bobo, joão-barbudo, jacuaçu e, claro, as aves ameaçadas supracitadas. Ratos silvestres, caxinguelês, tapitis e cuícas são exemplos de mamíferos registrados. Há borboletas como a borboleta imperador turquesa com listras de tons topázio azul e safira sobre um fundo preto.

A vegetação é composta predominantemente por remanescentes de Mata Atlântica, eucaliptal, bosques heterogêneos, gramados e o Viveiro Harry Blossfeld, que produz espécies arbóreas e palmeiras para uso em São Paulo. Encontram-se espécies como açoita-cavalo-do-cerrado, angico, caá-açu, capixingui, cedro-rosa, embiruçu, fedegoso, guapuruvu, ingá-ferradura e jacarandá-paulista. Foram registradas 256 espécies, das quais a favinha-branca, a guabiroba-do-mato e o pau-brasil estão ameaçados.


Estado atual


O que precisa ser feito

Serviço

Comentários